Shiatsu e Drenagem Linfática: Casamento perfeito?

Este artigo é apenas uma introdução sobre um assunto pouquíssimo explorado, mas de alta importância. Boa leitura!

Shiatsu e Drenagem Linfática: Compatibilidades e possibilidades de uso combinado

Por Arnaldo V. Carvalho*

Em 2007, a convenção internacional Fitness Brasil (tida como a maior da América Latina  na área de atividade física) mais uma vez ocorria em Santos. Como professor, era a primeira vez que eu observava junto a alunos de um minicurso de evento que todas as técnicas manuais têm uma finalidade essencial em comum: devolver a circulação. Linfática no caso da Drenagem Linfática Manual (DLM), energética no caso do Shiatsu, sanguínea no da Massoterapia clássica. Como energia e fluídos corporais seguem um ao outro, mutuamente, quaiquer dessas terapias bem executadas poderiam levar a resultados semelhantes.

Menos de dez anos após, vem se tornando está mais e mais conhecida a possível “re-descoberta” de um correlato físico aos meridianos energéticos ocorrida em 2009. O estudo em questão sugere que os meridianos e pontos de acupuntura são parte de um fio microscópico conduzido na rede linfática – os condutos e corpúsculos de Bonghan. É possível que atuem como captadores energéticos, estruturas celulares que conseguem transformar a energia (já observável em aparelhos) em material químico.

Os condutos ocorrem no interior dos vasos linfáticos, e seriam responsáveis pela comunicação dos canais pelo corpo. Conclui-se que a linfa, material a ser mobilizado naturalmente pelo movimento corporal e a própria pulsação sanguínea caminha por um “trilho” altamente comunicado com os meridianos.

Faria então a Drenagem Linfática Manual e o Shiatsu um casamento perfeito?

É essencial que possamos iniciar estudos mais detalhados destas interrelações, mas o que temos aqui sugere ser grandioso, e que talvez seja possível promover uma sinergia entre as terapias que se utilizam dos conhecimentos a cerca do sistema linfoide x sistema de meridianos de energia.

Os circuitos anatômicos da linfa e do Ki

As escolas de Drenagem Linfática Manual propõem diferentes técnicas, mas em comum obedecem ao fluxo natural do retorno linfático fisiológico. Quase todos os estilos de Shiatsu que utilizam o sistema de meridianos da Medicina Tradicional Oriental também seguem o fluxo, com uma ou outra exceção.

Se tomamos os mapas gerais de meridianos e pontos das terapias orientais (Shiatsu, Acupuntura, etc.) e comparamos com os mapas anatômicos da rede linfática, encontraremos muitas diferenças, e uma ou outra semelhança, tanto em se tratando de trajetos que poderiam estar justapostos, como no sentido em que linfa/energia deveriam seguir em uma determinada região.

dutoslinfáticos

Olhando na representação dos principais ductos linfáticos presentes no tronco, é fácil sugerir a associação entre meridiano do Rim ao ducto central, e os ductos laterais aos meridianos do Fígado e/ou Baço-pâncreas, que por ali se avizinham. A mobilização tanto da linfa quando de tais meridianos (yin-anteriores) ocorre em sentido ascendente.  Isso também ocorrerá em diversos outros trechos do corpo. Podemos mencionar por exemplo a hiper-ramificada rede linfática cefálica versus o meridiano da Vesícula-biliar.  Os importantes pontos de acupuntura próximos ao joelho versus os nódulos linfáticos da região. Entre outros.

Tangências e divergências das duas práticas

O Shiatsu é a terapia de pressionar. Especialmente com o dedo, em pontos chaves (estilo Namikoshi e variações) ou ao longo dos meridianos e pontos. Já a Drenagem Linfática tem como principal ferramenta o deslizamento ao longo do trajeto linfático, havendo outras intervenções de acordo com o método (Vödder, Leduc, etc.).

Pressionar um ponto onde há grande congestão linfática (linfedema) é contraprodutivo, pois não se alcança o trajeto energético subcutâneo, a região pode estar especialmente sensível, e o resultado é menor; Nesses casos a técnica do Shiatsu palmar é preferível, mas ainda assim é discutível se a região deve ser trabalhada ou não. Mas se utilizarmos a DLM imediatamente antes das pressões, teremos os condutos de Bonham novamente ativos, e o toque do Shiatsu recupera sua eficiência.

Dissolução de nós e retenção energética

O pioneiro método de Vödder na Drenagem Linfática Manual, ao estimular nódulos linfáticos e promover a mobilização do material linfático ali acumulado poderia facilitar igualmente a retenção energética? Caso positivo, estamos falando de uma estrutura que pressupõe a existência de um bloqueio misto, ou seja, é físico e é energético. Haveria uma terceira força capaz de dar origem a essa estagnação híbrida?

Se esse mecanismo combinado se confirma, então as teorias psicossomáticas ganham novas perspectivas e novas perguntas passam a se fazer necessárias. Esse é um tema do estudo aprofundado do Shiatsu Emocional, um estilo específico demais para ocupar parte deste artigo.

Conclusão

Sugerimos aos profissionais de drenagem linfática que conheçam o Shiatsu e compreendam melhor o que ocorrre no corpo. Da mesma forma, que os praticantes de Shiatsu conheçam a rede linfática e saibam manipula-la, otimizando sua técnica.

* * *

Prof. Arnaldo V. Carvalho foi profissional e ensinou diversas técnicas terapeuticas por anos, incluindo a Drenagem Linfática e o Shiatsu (que pratica desde 1993).

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s