Artigos e afins

O Autodidata e o Shiatsu

Resultado de imagem para autodidact

Shiatsu e Autodidatismo: O Suporte ao praticante de Shiatsu Autodidata no Brasil

Escola Shiem reconhece e oferece espaço de desenvolvimento a esse tipo de praticante

Por Arnaldo V. Carvalho

Sabemos que no Brasil há muitos terapeutas autodidatas, em diversas técnicas. São pessoas sérias que se debruçam sobre seus temas de estudo com afinco e, por vezes, demonstram mais profundidade de conhecimento do que muita gente que tem um diploma de formação.

O autodidatismo, ou seja, a capacidade de aprender por conta própria, vem ajudando as terapias naturais, incluindo o Shiatsu.

O mundo está cheio de autodidatas competentes em todas as áreas: arquitetura, tecnologia, artes, humanidades, saúde (veja mais).

No campo das terapias, nem precisamos ir longe: temos muitos exemplos de autodidatas brilhantes que fizeram história nas últimas décadas.

  • TOKUJIRO NAMIKOSHI (Shiatsu Namikoshi)
  • ALEXANDER (Técnica de Alexander)
  • GERDA ALEXANDER (Eutonia)
  • MOSHE FELDENKRAIS (Método Feldenkris)
  • JOSEPH PILATES (Pilates)
  • LIONEL LOGUE (lembra do fonoaudiologo do filme “O Discurso do Rei”? Ele realmente existiu)
  • WILHELM REICH (formou-se médico e a partir daí passou a estudar física, sociologia, antropologia, meteorologia entre outros…)

Alguns desses autodidatas depois participaram de formações, como ocorreu com Namikoshi; outros deram guinadas na carreira e efetuaram descobertas após a obtenção de um diploma,  através do autodidatismo – como Wilhelm Reich. E há aqueles que, firmaram-se em suas carreiras sem recorrerem a cursos, professores e formações, como Alexander.

Mesmo com tantos exemplos de terapeutas brilhantes não diplomados naquilo que fizeram (ou criaram) – demonstrando que um autodidata pode ser tão bom quanto alguém que fez uma formação convencional – há uma tendência do profissional de Shiatsu medir e ser medido pelo peso do diploma que ele comporta.

Leia nosso artigo “Compradores de Certificados” como complemento a esse artigo

Papéis de reconhecimento (certificados, diplomas e similares) não são garantia de conhecimento, e isso têm se comprovado na prática no mercado do Shiatsu: não consegue espaço quem tem diploma, senão quem é extremamente competente – uma minoria, visto que os programas de formação hoje são quase sempre obsoletos, ou insuficientes.

Infelizmente o Brasil encontra-se cristalizado em um modelo de educação ultrapassado, centrado em provas, carga horária fixa e diplomas. Como se todas as pessoas mesmo sendo tão diferentes umas das outras aprendesse as mesmas coisas no mesmo tempo. Como se fosse obrigatório que aprendessem exatamente as mesmas coisas, inclusive.

Esse um modelo é excludente e robotizante, que não consegue garantir a competência* de um aluno que passe por uma formação.

A baixa oferta de cursos, a qualidade em geral aquém do que desejaria uma pessoa exigente, e mesmo uma popularidade reduzida do próprio Shiatsu somam razões para que muitos interessados partam para o autodidatismo na tentativa de aprender e aprofundarem-se no Shiatsu.

Assim, partem para o estudo por textos, livros e vídeos. Alguns livros são tão belos em filosofia, e com práticas tão bem descritas, que o leitor se sente seduzido a tentar, por conta própria, começar a fazer Shiatsu. Como é positivo quando isso acontece! Mas ainda são poucos os bons livros em português, e nenhum deles pode ser considerado como “a obra definitiva”. Naturalmente, um livro não pode oferecer tudo o que um praticante precisa saber. Vídeos também não conseguem dar suporte às diferenças de corpo que existe entre um praticante e outro, aos detalhes de movimentação e concentração, e à concatenação entre teoria e prática.

Enfim, o autodidatismo no Shiatsu possui limites. O aprendiz espontâneo, por vezes, não consegue encontrar soluções em livros ou em sua prática, e sente falta de ter com quem trocar. É aí que entra perfeitamente um grupo de estudos, a figura de um mestre, um curso excelente. E esse tipo de suporte ao autodidatismo, até onde posso conceber, só é oferecido na Escola Shiem de Shiatsu.

Nenhuma outra oferece a esse aluno:

1. Um modelo de acompanhamento ao aluno após o curso;
2. Um modelo de formativo constante e de acordo com o tempo, dedicação e ritmo de cada um;
3. Um modelo capaz de dar suporte ao praticante avançado.
4. Uma base curricular que respeita preferências e diferenças, sem abrir mão de competência.

Essas características têm atraído alunos autodidatas de todo o Brasil, que finalmente encontraram “sua tribo”, e isso é uma satisfação grande para nós.

O autodidata é por natureza exigente.  Ele não está disposto a pagar pelo que já sabe, pelo que aprendeu e refletiu com os livros. E nem isso ocorre na Shiem, pois para quem vem de outras formações ou aprendeu parte do Shiatsu por conta própria, é possível demonstrar o que sabe e obter descontos equivalentes a tais conhecimentos, através do Bolsão Shiem.

Saiba sobre o no Bolsão Shiem

Nosso método pedagógico é estimulante para autodidatas. Além das aulas práticas, concentradas para otimização de tempo, há exercícios mensais, desafios de aprendizagem, cronograma de estudos, e uma monitoria personalizada. Finalmente, o autodidata encontrou um norte no Shiatsu.

Arnaldo V. Carvalho

Diretor da Escola Shiem de Shiatsu

* Definimos aqui ser competente como mais do que conseguir reter informações na memória – o que pode ser o suficiente para se passar em uma prova. Fundamentalmente, competência é saber o que fazer com essa informação, fazer associações e atuar em profundidade, adequando seu conhecimento para variadas situações.


SEJAM TODOS BEM VINDOS NA ESCOLA DE SHIATSU SHIEM

Fale conosco: escoladeshiatsu@yahoo.com.br

 

Anúncios
Agenda: Cursos Eventos etc., Nossos cursos, Notícias, Novas técnicas e abordagens

Zoku Shin Do – REFLEXOLOGIA JAPONESA NOS PÉS – é tema de curso – RIO DE JANEIRO, RJ

CURSO REFLEXOLOGIA JAPONESA NOS PÉS – RIO DE JANEIRO, RJ

21 a 23 de Novembro de 2014 no Rio de Janeiro

A Reflexologia podal japonesa ou Zoku Shin Do como ficou conhecido este estilo de reflexoterapia aplicada nos pés. Pertence a mais antiga tradição de massagem nos pés e reflexologia do Oriente. “Soku” significa pé ou perna. “Shin” significa coração, o centro, o núcleo, a parte mais importante de qualquer coisa.

reflexo valerio

Do” significa caminho e indica uma disciplina completa. É uma técnica de tratamento por meio de estímulos em áreas reflexas do corpo localizadas nos pés, cada área está relacionada com um órgão, glândula ou estrutura do corpo; que quando estimuladas produzem efeito positivo em todo organismo.

Conhecida na Índia e na China há mais de 5000 anos. Este método de Massagem Japonesa nos pés foi sistematizada pelo mestre japonês Shogo Monchizuki, que utiliza de elaborados movimentos da massagem Tradicional Japonesa Anma, para estimular as áreas reflexas, meridianos e pontos localizados nos pés. Suas manobras são profundas, sofisticadas e relaxantes e possuem movimentos de vibração, percussão, deslizamento e estímulos em pontos específicos para tratamento de alguns desequilíbrios e patologias.

Este estilo de terapia ao longo de séculos e até os dias atuais vem produzindo inúmeros benefícios no corpo e na mente, auxiliando no tratamento de dores e fadiga no corpo, insônia, ansiedade, depressão, desequilíbrios nos órgão internos, tensão e esstres.

  • Duração: 3 dias intensivos(21, 22 e 23 de Novembro)
  • Carga horária total dos módulos: 26h

Objetivo:

Formar profissionais e terapeutas altamente qualificados e treinados para exercer com êxito e segurança um dos mais completos métodos da massoterapia japonesa.

Publico Alvo: Profissionais da área da saúde, terapeutas, massoterapeutas, praticantes de artes marciais, terapeutas Holísticos e pessoas interessadas em qualidade de vida, autoconhecimento e praticas integrativas da saúde.

Horário: das 08:00 às 12:00 e das 14:00 às 19:00

Carga horária: 27 horas

Programa do Curso

  • Aulas práticas, teóricas e vivenciais;
  • Escalda pés com ervas medicinais, aromaterapia.
  • Principais meridianos e pontos de acupuntura estimulados nos pés;
  • Localização e apresentação das áreas reflexas nos pés;
  • Técnica com 60 movimentos de Anma nos pés (com e sem lubrificação);
  • Técnica de estímulo com bastão de madeira em pontos e meridianos.
  • Técnicas Utilizadas na Reflexologia Japonesa:
  • Rotação (Ju netsu-Ho)
  • Deslizamento superficial (Keisatsu –ho)
  • Percussão (Ko Da –ho)
  • Deslizamento profundo (Kyusatsu-ho)
  • Vibração (Shin sem-ho)
  • Alongamento (Undo-ho)
  • Pressão em pontos e áreas reflexas (Ap Pako-ho)

Professor:

Valério Lima

Professor e terapeuta a mais de 14 anos, licenciado em filosofia pela Universidade Federal de Goiás. Sócio – proprietário e diretor do espaço Satori Terapias e Cursos Goiânia-GO.

Pós Graduado em Acupuntura Tradicional Chinesa pela ABA (associação Brasileira de Acupuntura).

Especialista nas técnicas da Acupuntura Japonesa e Moxaterapia Okyu do estilo Fukaya e Sawada, formado pelo Sensei Antônio Augusto Cunha.

Formação nas técnicas de agulhamento da acupuntura japonesa com o sensei Atsuki Maeda,

Membro certificado pela associação Hari do Brasil, formado no sistema Hari de Acupuntura Japonesa pelo Mestre Koei Kuwahara.

Mestre e terapeuta em Reiki com formações nos métodos tradicionais Japoneses com o Daí Shihan Frank A.Petter.

Credenciado como Shihan Kaku(professor assistente), pelo JIKIDEN REIKI KENKYUKAI, Instituto Jikiden de Reiki, com sede em Kyoto, Japão.

Reiki Master do Método Usui de Cura Natural pela linhagem da Sra. Hawayo Takata.

Praticante de New Seitai, formado pelo Sensei Hideshi Goto.

Professor e Shiatsuterapeuta no método de shiatsu Kangendô do Monge Tokuda Igarashi.

Formação nas diversas técnicas japonesas da Escola Shogo Mochizuki, com sede no Colorado – USA, Massagem tradicional Japonesa Anma, Reflexologia Japonesa nos Pés, Massagem Japonesa com Pedras quentes e Quick Massagem Japonesa.

Professor e Diretor do Curso de Acupuntura Japonesa do Satori Terapias e Cursos.

Praticante de Aikidô a mais de 10 anos e faixa preta(Shodan) em Hakkoryu Jujutsu.

Formado em New seitai, pelo sensei Hideshi Goto.

E criador do sistema terapêutico Keiraku Seitai-Ho que une as técnicas do shiatsu, Anma e seitai, para o tratamento de dores crônicas.

http://wwwterapiasorientais.blogspot.com.br/

Realização: Shiem – Escola de Shiatsu-Rio de Janeiro e Satory Terapias e Cursos- Goiânia

Informações:

escoladeshiatsu@yahoo.com.br

satoriterapias@gmail.com