Shiatsu Emocional de Emilio Estivill (Barcelona): Conheça

SHIATSU EMOCIONAL

Por Emilio Estivill* – shiatsushi –
Tradução de Arnaldo V. Carvalho
Por doze anos pratiquei shiatsu estrutural no mais puro estilo japonês, que aprendi com meus professores: Hideo asai, Sigeru Onoda, Arturo Valenzuela, Matsuko Namikoshi, Takashi Namikoshi e Fulvio Palombini. Ao mesmo tempo combinava acupuntura e fitoterapia chinesa se as pessoas que atendia as requeriam. A abordagem holística e integral da MTC sempre me fazia abordar teoricamente todos aqueles fatores que provocam desequilibrio. Entre outros, considerava: o fator orgânico, o constitucional o dietético, o climático, os maus hábitos, o traumático e o sempre presente fator emocional.

Em minha formação manual de tuiná e shiatsu não existia uma aprendizagem específica para abordar o terreno psíquico e o tratamento da enfermidade mental desde a MTC era demasiado fisiológico-orgânico-energético. Tinha que recorrer aos Florais de Bach, a fitoterapia tradicional e a outros terapeutas transpessoais para atender esse importante fator emocional. O desafio para mim era: “Integrar no shiatsu e no tuiná o tratamento orgânico e emocional ao mesmo tempo”.

A vida, como sempre, se encarregaria de ofercer-me de bandeja a lição para que eu pudesse ter as primeiras lições de autoterapia emocional. Em 31 de agosto de 2005 um ônibus interrompeu abruptamente minha carreira profissional, prostrando-me durante seis meses em uma cama com cinco ossos quebrados e minha alma ferida por uma separação. Uma tarde de domingo, aborrecido e deprimido comecei a aplicar-me autoshiatsu em todo o corpo. Havia pontos tão doloridos que necessitava respirar pela boca para mitigar a dor, e as vezes proferia gritos que foram ainda maiores ao aproximar-me dos pés, da barriga e do peito. Após uma hora e meia de autotratamento havia entrado em catarse emocional várias vezes e considerei que deveria terminar com “aquilo” que fosse que estivesse me acontecendo. Voltei ao controle da situação ao respirar pelo nariz e ao deixar de respirar pela boca, tudo se acalmou. Mas algo havia mudado dentro de mim, algo pesado e profundo havia desaparecido de meu peito.

Alentado por esse descobrimento em minha propria vida, decidi transporta-lo para a terapia compartilhando primeiro com os colegas de meu centro terapeutico. Meio ano depois, compecei com pacientes que sabiam o que era o shiatsu ou tuina estrutural e quiseram experimentar “outro tipo de shiatsu” em que terim de respirar de maneira especial e que poderiam gritar a sua dor. Os resultados positivos e as numerosas experiências acumuladas durante sete anos me levaram a escrever o manual de terapia avançada de shiatsu emocional.
A definição que mais se aproxima da terapia desenvolvida seria: Terapia integrado por Shiatsu + Respiração + Grito instintivo. Em outras palavras poderia dizer que a terapia manual aborda o aspecto emocional ao unir três técnicas de características distintas mas complementares. O shiatsu nos faz consciente através das pressões dos pontos dolorosos de nosso corpo, a respiração de fogo nos abre a comporta dos sentimentos reprimidos durante muito tempo e o grito instintivo nos libera de uma carga inconsciente que arrastamos e que já não faz sentido suportar.
A maior parte de nós vai acumulando experiências negativas ao longo de nossa vida que pouco a pouco vão nos deixando sem alento, sem força, sem ânimo para seguir vivendo. Mortes, traições, desiluzões, fracassos, preocupações que se somatizam em enfermidades físicas de origem psíquica e que desde a medicina paliativa só se mascara a sintomatologia, e não se enfrenta nunca a raiz do problema.
O shiatsu emocional brinda um espaço terapeutico em que a pessoa entra em contato com seu próprio corpo através das pressões e pontos doloridos, e ao mesmo tempo pode expressar tudo o que em seu momento não expressou e que a respiração holotrópica facilita junto ao grito instintivo e visceral. Não é fácil expressar quando toda a vida nos ensinaram a não faze-lo. Devemos reaprender a nos expressar.
Todos os terapeutas que se atrevam a levar a termo uma terapia de shiatsu emocional deveriam primeiro permitir-se expressar os sentimentos e as emoções reprimidas como pacientes e logo como terapeutas porque somente aquilo que já experimentou poderá ser transmitido aos outros. Como poderá expressar seu miedo ou sua raiva ou seus ciúmes reprimidos um paciente em nossa consulta se nós como terapeutas e em nossa vida pessoal nunca antes expressamos tais sentimentos? O terapeuta deverá acompanhar, com a respiração e com a expressão ao paciente, incentivando-o continuamente para que se manifeste durante a sessão.
Em certas ocasiões conseguiremos que se chegue a catarse purificadora de sentimentos, obtendo o máximo de eficácia liberadora mas em outras ocasiões  será obtida uma leve expressão, abrindo o caminho para outras sessões que se acercarão cada vez mais de expressões mais sinceras, provavelmente mais instintivas e  inconscientes. O medo ao que dirá ou pensará o terapeuta, ou os que me estarão ouvindo, o medo de perder o controle, são inibições que o paciente normal sente durante as sessões e que limitam os resultados. O terapeuta deverá incentivar o paciente a seguir aprofundando-se nos sentimentos bloqueados e a dar-se permissão para expressar-se em sucessivas sessões.
Há pacientes que sua expressão é rir da dor que as pressões provocam ou da situação mesma ao ouvir-se gritar ou lamentar-se. A interprtação nos aporta à MTC dizendo-nos que a euforia é a expressão do coração ao sentir uma tensão excessiva e isso é precisamente o que está sucedendo. Qualquer expressão é possível e permitida.
***
* Emílio Estivill é Professor de Shiatsu em Barcelona. Com larga experiência, possui um trabalho respeitado em toda a Espanha. Nos conhecemos em 2009, durante o congresso de Shiatsu da escola Yasuragi (Madri). Na época, cheguei a levar diversas cópias do livro Shiatsu Emocional de minha autoria. Curiosamente, o livro homônimo do Prof. Emílio encontrava-se no prelo naquela mesma época. Foi uma grata surpresa para mim, perceber que outras pessoas em outras partes começavam a focar a questao emocional na terapia Shiatsu. Mais ainda, saber que um “outro Shiatsu Emocional” tinha tanta qualidade quanto o “meu”, embora seguisse por caminhos tão distintos. Nossa postura foi de aproximação, e essa tradução autorizada é a primeira medida concreta no sentido de fazer o trabalho do Professor Emílio tornar-se conhecido também no Brasil e demais países lusófonos. (Arnaldo, tradutor)
TRADUÇÃO E PUBLICAÇÃO AUTORIZADA PELO AUTOR

2 comentários a “Shiatsu Emocional de Emilio Estivill (Barcelona): Conheça”

    1. Olá Bernadete, tudo bem?

      Você se refere ao curso de Shiatsu Emocional de Emílio Estivill, ou o método ShiEm de Arnaldo V. Carvalho?
      Nosso curso acontece em diversas cidades do Brasil ao longo do ano, por favor me passe informações de onde és para que eu possa orienta-la adequadamente, ok?
      Aguardo.
      Abraços!
      Arnaldo V. Carvalho

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s