Agenda: Cursos Eventos etc., Livros, videos e Indicações, Notícias

Simpósio Purani leva o Shiatsu Emocional para Vargem Grande

Em meio a refeições vegetarianas requintadas, o Simpósio Vivência Integrativa contará em dois dias de evento com vinte atividades terapeuticas e de expansão da consciência, ministradas por professores internacionalmente conhecidos em áreas muito distintas, da alimentação natural a meditação, passando por aspectos relacionados a agricultura urbana e sustentabilidade.

O professor Arnaldo V. Carvalho da Aeshi, conhecido por suas pesquisas com os sentidos humanos integradas no trabalho de “Shiatsu Emocional estará no evento, falando sobre a importância do sentido do fato e do olfato na vida emocional e como a consciência deste fator pode influenciar os seres humanos.

O simpósio é promovido pelo Espaço Purani Veg, em Vargem Grande (Rio de Janeiro, RJ), sob direção de Karina Araújo. A chamada dos organizadores, com a programação completa, segue abaixo.

Simpósio de dois dias no Espaço Purani situado em meio à mata atlântica no bairro de Vargem Grande, Rio de Janeiro.
Palestras de saúde integrativa, yoga, saúde, bem estar, meditação, culinária vegetariana. Programação abaixo.

Sábado dia 28 e Domingo dia 29 de Setembro

* Evento Fechado com vagas limitadas para 40 pessoas

Local : Espaço Purani, Vargem Grande, Rio de Janeiro, RJ

Horário: Dia 28 das 7:00 as 21 horas. Dia 29 das 7:00 as 10:00 horas

Valor: R$ 140,00 com Alimentação / sábado e domingo

PURANIVEG@GMAIL.COM /21 24281383

Forma de pagamento: Depósito bancário, enviar comprovante e inscrição para puraniveg@gmail.com com nome e contato. Após a inscrição enviaremos o mapa do local.

Alimentação: Culinária Vegetariana, Viva e Vegana.

OBS: Precisamos de voluntários (4 pessoas).Enviar contato para o email

PROGRAMAÇÃO:

Sábado 28/09

7:00h Abertura e Inscrição

7:30h Meditação e Hatha Yoga • Paulo Salles
Formação Jornalismo, Bacharel em Comunicação Social pela Puc-Rio em 1974.
Curso de formação para professor de Yoga, pelo Yoga Institute de Mumbay, Índia.

8:15h as 9:00h Café da Manhã

9:00h Vivência Angelical • Joice Soares
Formação Angel Teacher, Transform your Life pela Diana Cooper School e o
Angel Healing, Unicorn Centre, UK.

10:00h Alimentação Integrada e Sociabilidade • Carlos Wagner
Outdoor no Jardim. Sociólogo UERJ, Pós graduação Politica e Gestão Ambiental, Chef Executivo Senac RJ.

10:00h Yoga Sivananda • Marco Raphael
Professor do espaço TANTRALOKA, RJ.

11 :30h as 13:00h Espaço livre e Almoço Vegetariano

13:00h Lidando com minha auto imagem • Danielle Bittencourt
Mestre em Criatividade e Inovação, Arteterapeuta e Terapeuta Familiar Sistêmica.

14:30h Respiração para acordar os Chakras • Pedro Tornaghi
Curso de Formação de Professores de Yoga da Associação Brasileira de Professores de Yoga com Vayuananda, Formado em Breath Therapy na Osho Multiversity, Índia.

15:45h Body talk um sistema de saúde em suas mãos • Celia Barboza
Terapeuta em Body Talk System com formações nas novas linguagens terapêuticas baseadas na física quântica e epigenética.

16:00h Alongamento focalizado nos quadris e pés • Joaquim Ferrari Outdoor no Jardim. Licenciatura Plena em Educação Física e Desportos,
UGF 1992 Mestre em Educação Física UGF 2001.

16:30h as 17:00h Lanche

17:00h Seu Biorritmo através da prática de Yoga • Thaíse Titon
Psicóloga UNIVALI -SC, especialização em psicoterapia corporal. Professora de yoga pelo Canal Om – Chile 2007 e Instituto Visão Futuro- SP.

18:30 – O Ritmo da Vida e a Sensibilidade Primitiva – Tato e Olfato na integração terapêutica do Shiatsu EmocionalArnaldo V. Carvalho
Pesquisador das relações corpo e mente, professor de Shiatsu, Linguagem Corporal ,Aromaterapia e autor do livro Shiatsu Emocional

19:30h Jantar com Sopa vegetariana e Chai

————————

Domingo 29/09

7:00h Abertura

7:30h Meditação • Paulo salles

8:00h Hatha Yoga • Mariana Richter
Formação em biodinâmica na CEBRAFAPO. Hatha Yoga no IEPY,
instituto de ensino e pesquisas em Yoga.

9:15h as 9:45h Café da Manhã

10:00h Desenho da Alma • Tize Beatrice Daudt,
Licenciatura em Educação Artística Faculdade Bennet 1978, Formação em Arteterapia com Ronaldo Rothgiesser, Desenho da alma, Widbey Institute of Touch Drawing Seattle, Esalen Institute CA, Dança estática 5 ritmos Gabrielle Roth.

11:45h Ayurveda a ciência da longevidade • Janaina Chagas
Fisioterapeuta e Terapeuta ayurvédica pela UFRJ, com especialização em terapias de rejuvesnescimento, desintoxicação (panchakarma) e saúde da mulher pela escola de Ayuverda em Kerala, Clínica de Panchakarma em Matura, Índia.

13:00h as 14:30h Espaço Livre e Almoço Vivo e Vegetariano

14:30h Consciência e Liberdade • Tereza Erthal
Formada pela UFRJ, Mestre em Psicologia Pela PUC-RJ, Desenvolveu a Psicoterapia Vivencial apoiada nos Princípios Filosóficos Existenciais de Sartre.

16:00h Integração Estrutural, Método Rolf • Lawrence Jenkins
Terapeuta em Esalen Institute desde 1990, Big Sur Califórnia, Hellerwork International, Guild Structural Integration.

17:00h as 17:30h Lanche

17:30h Do Colapso ao Equilíbrio • Daniela Reis
Fundadora do Instituto Beija-Flor para atuar na transição do paradigma mecanicista para o paradigma sistêmico de sustentação da vida. Atuou por 20 anos em corporações brasileiras como Votorantim, Vale e EBX. Pós-graduada em Administração de Organizações do Terceiro Setor pela USP.

18:15h Cidade, Desenvolvimento local e Economia Solidária • Marcelo Costa
Mestre e doutor em Psicologia Social pela Uerj, professor da Universidade Veiga de Almeida e foi, entre 2009 e 2012, Secretário de Desenvolvimento Econômico Solidário da Cidade do Rio de Janeiro.

19:15h Roça Invisível: agricultura urbana do Parque da Pedra Branca • Rosa Bernardes
Historiadora e documentarista. Tem na linguagem visual a construção de sua narrativa, ganhou diversos prêmios em suas incursões como o Festival do Rio em 2009, por TAMBORO.

20:00h Concerto Meditativo • Arthur Belino e Daniel Ramam
Terapia do Som usando Taças Tibetanas. Quando estamos ressoando amor, vivemos amor. Harmonizar nosso fluxo energético original e vibrarmos cada vez mais o amor que somos.

21:00h Jantar com Sopa vegetariana, Chai e Fogueira

cartaz_simposio_web03

Anúncios
Artigos e afins

“Curso caro” – A formação de preços no Shiatsu (Parte 2: A radiografia do que se contrata)

Saiba se o que você está pagando por um curso de Shiatsu e outras terapias vale a pena (segunda parte)

Por Arnaldo V. Carvalho*

Vamos agora esmiuçar, para quem desejar saber mais, o que forma o preço de um curso.

Toda estrutura tem gastos. Luz, água, aluguel. Todo recurso humano custa. Secretaria, deslocamento, alimentação. Para fazer a informação chegar, há custos. Panfletos, anúncios eletrônicos, mala direta, assessoria de imprensa. Toda infra-estrutura necessita de recursos: Certificados, apostilas, canetas, etc. E para além de todos esses gastos, há os honorários concedidos não somente ao professor mas a todos os envolvidos. Na realidade atual, os honorários não apenas oferecem ganhos em cima de dias ociosos, mas cobrem valores que deixam de ser recebidos quando o professor que também atua em consultoria e/ou tratamentos desloca seu tempo profissional para tais cursos. Os valores que incidem sobre um curso, finalmente, precisa cobrir uma depreciação calculada de equipamentos, a taxa de evasão do curso.

Os cursos variam em preço de acordo com todos esses gastos, e não conheço uma grande ou pequena escola que não faça preços fora dessa lógica. Se um curso investe mais, precisa cobrar mais caro. Esse investimento acontecerá em proporções diferentes de acordo com o curso, nas seguintes áreas:

– Infra-estrutura

– Propaganda

– Recursos Humanos

Não sei se sabem, mas o valor real da maioria dos produtos de grande popularidade é de apenas 20% de seu valor de venda. Do restante, pelo menos 70% corresponde a MARKETING. É claro que isso não corresponde a realidade dos cursos e atendimentos de Shiatsu. Mas dá para ter uma ideia de que o que as pessoas estão consumindo é IMAGEM e visibilidade, ao invés de qualidade.

Se comprar imagem é uma opção quando você compra um supérfluo, não pode ser quando se trata de se investir em um curso na área de saúde, seja ele qualquer. Estaremos nos preparando para lidar com pessoas. Com a saúde das pessoas.

Infra-estrutura:

– Um espaço confortável envolve ambiente climatizado, silêncio, banheiros de qualidade, privacidade, mobiliário adequado às aulas, metragem condizente.

– O número de alunos precisa estar de acordo com as regras de espaço, de suficiência de atenção.

– Caso o número de horas seguidas de curso seja longo, sua organização deve oferecer breaks com lanches ou, nos horários pertinentes, intervalos para que os alunos possam fazer suas refeições.

Propaganda:

– O curso precisa que as pessoas saibam dele. Não é possível fazer isso sem investimento em propaganda, e atualmente, isso custa caro.

As organizações de cursos investem cada vez mais em divulgação eletrônica, tanto porque a impressão em papel e sua circulação tem se tornado cada vez mais cara e dispendiosa, quanto porque há cada dia mais gente acessa a Internet. Mas a propaganda impressa ainda é importante e altamente utilizada, enquanto que a propaganda virtual também demanda tempo, conhecimento e recursos muito específicos – podendo se tornar tão ou mais caro que a estratégia impressa.

A visibilidade de um curso indiretamente afetará o aluno após o curso: quanto mais notório é uma formação, mais chance dos usuários associarem o nome da pessoa ao local em que ela se formou.

Recursos humanos:

Para haver um curso de Shiatsu, não é necessário simplesmente a existência de professores e alunos. É preciso uma estrutura humana, que cuidará para que essa interação surja e aconteça de modo satisfatório. Faxina, secretaria, coordenação, compras, organização geral (propaganda, recepção de matrículas, prestação de informação geral, controle da propaganda – feitura, impressão, prospecção, etc.),

O professor, por sua vez, precisa receber o que deixará de receber se estivesse atendendo. Precisa receber de modo não só a custear sua vida pessoal, mas também a investir em pesquisar métodos de ensino, novas técnicas. Isso quer dizer que o professor de alto nível investe em educação: livros, cursos, congressos, etc., para trazer o que há de melhor aos seus alunos. Esses investimentos são altos. Nada mais justo do que seus honorários cobrirem essa despesa, de quem oferecerá muito material pré-digerido, que não poderia ser encontrado da maneira como ele transmite.

Se pensarmos num curso com poucos alunos para que tenham atenção especial do professor por todo o tempo, além de todos os detalhes descritos até aqui, um curso como esse não pode custar o que vem custando quase sempre! Qual é o segredo então para cursos aparentemente “baratos”?

– Carga horária programada de forma a “encher linguiça”, professor mal qualificado, muitos alunos por turma, subsídios do governo / outros, localização/infra-estrutura de categoria inferior. Uma, duas, ou a soma de várias dessas características.

Uma palavra aos que desejam atuar profissionalmente com Shiatsu: mesmo os cursos considerados mais caros, se forem de qualidade são dos mais baratos no que se refere a uma formação na área de saúde. Em poucas sessões o curso está pago. Falemos aqui na ordem de R$5 mil reais para uma formação bastante completa em Shiatsu (incluindo os cursos, transporte, material didático, livros etc.). Esse valor é bem superior ao que se gasta com mensalidades de um curso técnico na área. Mas é bem inferior ao que se vai gastar em formações de outros setores, especialmente às formações de universitárias. O retorno do investimento após uma faculdade (onde será gasto em média por volta dos 50 mil reais) levará meses, as vezes anos para se pagar. O da formação em Shiatsu é realmente mais rápido, calculando a média do preço de uma sessão em qualquer capital do Brasil. Algumas dezenas de sessões depois, tudo o que foi gasto já retornou, e para quem é profissional, isso se cobre em meses.

Então, antes de pensar que um curso é caro, verifique a infra-estrutura e seus recursos humanos, se tornar um curso visível parece ser uma preocupação mais importante que o que o curso de fato oferece, e se essa formação tem  a qualidade necessária para te levar ao topo profissional (desde que você se dedique, é claro). E lembre-se: Um curso que te traz o retorno previsto ou acima do previsto sempre valerá a pena. Um curso que frustra sempre será caro. O preço justo, não há dúvidas, será aquele em que todos se beneficiam: aluno, professor, organização. 

Leia a parte 1: A formação de preços no Shiatsu (Parte 1: Resposta ao leitor)

*   *   *

Arnaldo V. Carvalho
Começou a praticar Shiatsu em 1993 após um curso de formação com Gilberto Sonoda, e em 1998 teve a oportunidade de ministrar sua primeira aula sobre o tema. Daí para frente não parou mais, tendo percorrido diversos países e estados do Brasil ensinando e aprendendo. É autor do livro Shiatsu Emocional e membro da Associação Brasileira de Shiatsu (ABRASHI). Dirige a AESHI – Escola de Shiatsu.

Artigos e afins

“Curso caro” – A formação de preços no Shiatsu (Parte 1: Cursos)

Preço x relação custo/benefício

Por Arnaldo V. Carvalho*

De vez em quando, eu ou a Aeshi – Escola de Shiatsu, que dirijo, recebemos um e-mail ou comentário de que “o curso é caro”.  Eu compreendo. Afinal, nosso curso básico custa pouco mais de um salário mínimo, e isso talvez seja difícil para algumas pessoas. Porém, quem faz um curso Aeshi está a procura de autoconhecimento, realização pessoal e formação profissional. Nossos cursos satisfazem essas três procuras, e me pergunto se esse valor é mesmo inviável, com tudo o que vejo ser consumido nesse país.

Mas não é apenas uma questão da pessoa ter ou não o dinheiro. É que a maioria não deve saber o que paga, o que é investido para o que é oferecido. E sim, é verdade que muitos cursos por esse preço não oferecem o que geram em termos de expectativa. Gostaria então de publicar um esclarecimento sobre o tema, para que os interessados em cursos de Shiatsu possam fazer suas escolhas de modo consciente. Comecemos por uma resposta que dei ao último que reclamou que “o curso é caro”, e ainda comparou o curso com um curso gratuito que ele teria feito no Senai:

“Compreendo. Você sempre pode fazer as opções. O Senai e o Senac recebem subsídios da indústria e do governo. O foco é a produção de técnicos. Nossos cursos são para terapeutas, profissionais que estão certamente em outro patamar de conhecimento e atuação, e para pessoas que querem transformar algo em suas vidas. Claro que um curso para massas possui características claras:

– Turmas com excessivo número de pessoas;
– Disciplinas estruturadas sem levar em conta as particularidades de cada aluno;
– Avaliações baseadas no sistema escolar tradicional (insuficientes para garantir a compreensão e principalmente elaboração dos conteúdos estudados);
– Total falta de suporte após a formação.

Os cursos da Aeshi oferecem suporte POR TODA A VIDA do aluno. As turmas são reduzidas, o ensino super individualizado, e os professores com experiência internacional. Você acha mesmo que dá para comparar?

Agora, tirando todos esses detalhes… Você paga um curso como esse com cerca de dez sessões de trabalho, possibilitadas pelo que aprendeu! Quanto tempo você acha que leva para uma pessoa pagar o que investiu em educação, em se tratando de outras áreas?

Para refletir.  Agradeço o seu comentário”.

Não cheguei a denunciar que em instituições como essa os professores recebem valores baixíssimos, o inclusive faz com que a grande maioria dos professores de alto nível se desinteressem pela instituição (com poucas exceções de professores que seguem atuando por puro amor).

Finalmente, esqueci de dizer, nesse comentário, que na Aeshi, nunca deixamos de fora por questão financeira alguém realmente interessado e que compreendeu nossas propostas e diferenciais. Sempre há uma maneira de resolver isso, mas é preciso que a pessoa nos procure e exponha sua situação. A Aeshi sempre acolherá aos que estiverem comprometido em aprender e escolheram nosso método.

Sejam todos muito bem vindos!

Arnaldo V. Carvalho
Aeshi Escola de Shiatsu

Leia a parte 2: A formação de preços no Shiatsu (Parte 2: A radiografia do que se contrata)

*   *   *

Arnaldo V. Carvalho, começou a praticar Shiatsu em 1993 após um curso de formação com Gilberto Sonoda, e em 1998 teve a oportunidade de ministrar sua primeira aula sobre o tema. Daí para frente não parou mais, tendo percorrido diversos países e estados do Brasil ensinando e aprendendo. É autor do livro Shiatsu Emocional e membro da Associação Brasileira de Shiatsu (ABRASHI). Dirige a AESHI – Escola de Shiatsu.

 

Agenda: Cursos Eventos etc., Notícias

Sorocaba sedia o próximo curso de Shiatsu Emocional em São Paulo

Instituto Ibrapper dirigido por Cleide Machado,

com tradição de levar formações de alto nível a Sorocaba

Nos dias 12 e 13, 26 e 27 de outubro, – De 9 as 18, o IBRAPPER realiza o I Curso de Shiatsu Emocional em Sorocaba.

ShiEM_sorocaba2013

 

O espaço traz de volta a São Paulo o professor Arnaldo V. Carvalho, autor do livro Shiatsu Emocional, pesquisador sobre as interações corpo-mente-emoções, e que descobriu no Shiatsu uma ferramenta apropriada para equilibrar essas facetas no ser humano. “Compartilharemos conhecimentos sólidos e muito especiais, que contribuirão para a harmonização de seus participantes e todos os que com eles conviverem”, diz.

O curso traz o assunto desde sua base fundamental, de modo que não há pré-requisitos (quem quiser poderá avançar posteriormente fazendo cursos de aprofundamento). Arnaldo explica que “profissionais de diferentes áreas da saúde, desde Acupunturistas a psicologos e médicos se surpreenderão sobre o quanto esse curso tem a contribuir, e ao mesmo tempo, que os iniciantes conseguirão acompanhar bem, e sair do curso fazendo uma sessão segura, completa e eficaz de Shiatsu”.

Quem desejar saber mais deve fazer contato diretamente com o Ibrapper, pelos telefones e e-mail:

Cel: 15 81232072
E-mail: institutoibraper@gmail.com
* Alguns Diferenciais:

– Os alunos ganham acesso a grupo de estudos orientado permanente via Internet;

– CARGA HORÁRIA: 60H (32 presencial mais 28H estudo complementar a distancia obrigatório);

– Quatro dias de aula intensiva (quinta a domingo de 9H as 18H), com paradas para almoço e coffee break;

– Parcelável de acordo com as possibilidades do aluno;

– O curso abre as portas para os treinamentos intermediários e avançados em Shiatsu e Shiatsu Emocional.

– Apostila completa + CD ROM riquíssimo em informações complementares incluído

O curso de Shiatsu Emocional oferece uma base forte de Shiatsu associado aos conhecimentos da psicossomática e da terapia reichiana, com técnicas exclusivas (conheça o programa completo do curso em nosso site oficial). O Shiatsu Emocional, no entanto, é uma modalidade terapeutica particular, com personalidade bastante própria – SAIBA MAIS através do site www.shiatsuemocional.com.br e do blog shiatsuemocional.wordpress.com.

O professor é Arnaldo V. Carvalho – RJ
Terapeuta Corporal e Naturopata, autor do livro “Shiatsu emocional”, é membro da ABRASHI – Associação Brasileira de Shiatsu; pratica Shiatsu há 18 anos e já ministrou cursos em dezenas de cidades e diversos países de quatro continentes.

INFORMAÇÕES SOBRE O CURSO NO INSTITUTO IBRAPPER:

Cel: 15 81232072
E-mail: institutoibraper@gmail.com

Artigos e afins

Shiatsu: Buscar pela dor, ficar pelo prazer

– INICIANTES / PESSOAS INTERESSADAS NO SHIATSU –

Ir pela dor, ficar pelo prazer”

Por Arnaldo V. Carvalho*

O objetivo pelo qual Roberto procurou o Shiatsu foi cumprido. As dores se foram, as emoções se estabilizaram, a capacidade de autorregulação foi restabelecida. O honesto terapeuta o felicitou e disse: “bem, parece que resolvemos, você já não precisa vir mais”.

Roberto estava orgulhoso, mas no caminho para casa, percebeu que já não se lembrava com muita clareza do que realmente o levou a buscar a terapia, o Shiatsu, aquele terapeuta.

O prazer das sessões, do encontro com o terapeuta, aquele momento especial que escolhido pelo próprio Roberto para si mesmo, gravou em seu espírito um conjunto de percepções, sensações e benefícios tão grande… Então diante da ausência de problemas, por que ele deveria deixar de fazer Shiatsu?

Mas sim, ele estava “bom”, e se orgulhava disso. Tomou a decisão certa, fez a terapia certa, cuidou-se e resolveu. Estava livre, e sem dúvida, a ideia de se tornar “dependente” de remédio ou terapia era para ele fora de cogitação. Assobiou para acompanhar a música alegre que colocou no carro. Chegou em casa, contou para a mulher, deu um afago maior no cãozinho, deu atenção as crianças. E a vida seguiu.

Passado algum tempo, encontrou com seu terapeuta de Shiatsu na rua. Que alegria rever aquele parceiro! Ambos se abraçaram, o terapeuta parecia igualmente radiante pelo encontro, ainda mais quando Roberto confirmou que sua vida seguia andando bem, o corpo ok, bastando uma atenção a mais dia ou outro, e que não tinha menos desafios que antes, mas se sentia forte para enfrenta-los. O que Roberto não esperava era o convite:

– Quando vai aparecer para uma sessão?

Roberto não entendeu nada. Não havia nada que justificasse a oferta. Nunca mais teve crises de coluna (mas lembrou-se delas naquele mesmo instante), ou pensamentos angustiantes. O Shiatsu era caso passado. Será que o terapeuta apenas de olhar percebera algum desequilíbrio em Roberto? Foi o que ele imaginou. Depois a mente, naquela fração de segundos, ainda a olhar para o terapeuta sem saber muito o que dizer, maldou a situação: “agora o sujeito virou mercenário, quer meu dinheiro sem eu precisar de verdade dele”. Não, não, havia convivido tempo o suficiente para saber que não era esse o caso. Mais um instante gastou sem palavras, só para desanuviar. Por fim, respondeu com outra pergunta:

– E pode?

O terapeuta sorriu e respondeu:

– Roberto, agora já não é pela dor, agora é pelo prazer. Vá fazer Shiatsu quando sentir vontade!

Naquele dia, Roberto, que já era feliz, decidiu que a partir dali, o Shiatsu faria parte de sua vida para sempre. Agradeceu ao terapeuta, e até hoje ele marca vez por outra, sempre que tem vontade. E o terapeuta e Roberto já são há anos velhos amigos.

Diferente de se prestar apenas a tratar desequilíbrios, o Shiatsu promove saúde e bem estar. Nele, podemos seguir um caminho de crescimento onde o único limite é a inexorável condição humana. Isso permite que a terapia possa se estabelecer de modo perene. E permite igualmente que o Shiatsu seja uma atividade perfeita para se praticar em casa, entre familiares. Há parcerias de praticantes (nomeadamente a relação “terapeuta/cliente”) que duram uma vida inteira. Ambos compreendem que após os ciclos de dificuldades, podem servir-se, os dois, de ciclos de desfrute. O Shiatsu sustentará, inclusive, a bonança na vida por mais tempo.

* * *

* Arnaldo V. Carvalho pratica Shiatsu desde 1993, e já percorreu o Brasil e o mundo dando aulas sobre a prática. É autor do livro “Shiatsu Emocional”, membro da Associação Brasileira de Shiatsu – ABRASHI, e pesquisador das convergências entre o pensamento reichiano e as teorias da Medicina Tradicional Chinesa.