Prof. Ernesto Garcia fala sobre Auriculoterapia

Considerado um dos grandes profissionais da MTC em atuação no Brasil, o cubano Ernesto Garcia fala um pouco sobre auriculoterapia.

 

Por que a Auriculoterapia é mais popular no Ocidente que na China?

Garcia – Por causa da forte influência da França. Eles prepararam o terreno e a Auriculoterapia chinesa foi atrás. O desenvolvimento da Auriculoterapia chinesa em função dos micro-sistemas é muito jovem (séc. XIX-XX). Depois de uma palestra de Nogier proferida na China nos anos 50 é que essa modalidade de terapia decolou. Mas na Europa as pesquisas são apenas de Nogier, enquanto na China existem muitos pesquisadores estudando e testando. Por causa disso, a Auriculoterapia chinesa é mais abrangente e completa.

 

A acupuntura auricular é menos eficiente que a acupuntura sistêmica?

Garcia – Todos são métodos terapêuticos, todos tem a mesma base. Depois de feito o diagnóstico, então busca-se um método de intervenção onde cada terapeuta tem sua preferência.

 

O que acha da utilização apenas de Auriculoterapia?

Garcia – Sempre que tiver um diagnóstico bem feito, não há problema. Pela minha experiência, muitos problemas podem ser resolvidos só pela aurícula. Enxaquecas, ciatalgia, só com aurículo já resolve muito bem. Mas para uma artrose de joelho, aí é melhor aplicar também a acupuntura sistêmica. Conseguimos bons resultados no tratamento de depressão e ansiedade. Mas alguns pacientes tem “orelha fria”, quer dizer, respostas mais lentas. O importante é ter flexibilidade e mente aberta para usar o sistema com melhores resultados em cada caso e em cada paciente.

 

Qual a diferença entre o uso da semente e da agulha?

Garcia – A Auriculoterapia possui grande flexibilidade – pode-se usar agulhas filiformes, sangrias, eletro-acupuntura, sementes, massagem auricular, agulhas semi-permanentes. Na China, usar sementes é chamado “colar e pressionar”, porque pode-se usar também bolinhas de medicamento ou esferas de metal. A semente tem excelentes resultados e também não tem problemas de infecção, é menos invasiva. Ao se usar agulhas devemos tomar apenas 4 ou 5 pontos, mas usando sementes podemos usar até dez pontos.

 

Por que essa diferença?

As agulhas são dispersantes de energia. Se o paciente está muito debilitado, temos que usar poucas agulhas. O uso de muitas agulhas pode lesar o Qi e o Sangue. A semente é mais auto-reguladora e pode ser usada em quantidade.

 

Qual método de diagnóstico o senhor utiliza em Auriculoterapia?

Uso os quatro métodos normais da Medicina Tradicional Chinesa.

 

Encontrei essa velha transcrição de entrevista feita com o Prof. Ernesto. A transcrição é antiga e já não me lembro em que jornal saiu, de modo que fico devendo a fonte. Caso o leitor saiba ou alguém sinta que é indevida a postagem, por favor entre em contato.

1 comentário a “Prof. Ernesto Garcia fala sobre Auriculoterapia”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s