Ashiatsu – O nome é parecido, mas não é Shiatsu

https://i0.wp.com/www.mitchellsashiatsu.com/images/47resized.jpg

Por Arnaldo V. Carvalho*

Ashiatsu, já ouviu falar? Sim, Ashiatsu existe e se refere a uma terapia de pressão com os pés. Os sites que propagam a técnica defendem que o Ashiatsu leva a um profundo relaxamento e pode participar do processo de reequilíbrio da pessoa de forma efetiva. Nos atendimentos, os terapeutas sobem em seus clientes, mas se apóiam com sistemas de traves ou cordas instaladas no teto, e “dançam” sobre o atendido, executando ainda pontos de pressão por todo o corpo, variando conforme o estilo. O sistema é o mesmo usado largamente em sessões massagem na Índia, mas principalmente na Tailândia e países circunvizinhos da China (Vietnã, Laos, etc.) e ilhas próximas da Oceania (Filipinas por exemplo) muito mais como um serviço “exótico” aos turísticos do que como prática de saúde cotidiana. É uma massagem efetiva para quem gosta de receber uma estimulação muscular profunda e segura.

Shizuko Yamamoto, considerada a “mãe” do chamado “Shiatsu Macrobiótico”, e ainda autora de um dos clássicos do Shiatsu publicados em português (“Shiatsu dos Pés Descalços, pela editora Ground), foi de grande influência na corrente de terapeutas que passou a preferir os pés como ferramenta fundamental de trabalho.

Contudo, há a versão terapêutica, que preserva sua visão holística, e é tanto praticado na China, Japão e nos países supra-citados como atualmente em todo o ocidente, em suas várias versões. Com o objetivo mais terapêutico, Ashiatsu passa a se basear mais no paradigma da Medicina Tradicional Chinesa. Os tratamentos tipicamente incluem alongamentos, estimulação ou sedação de pontos de acupressura, e técnicas de alinhamento estrutural. O praticante de Ashiatsu com esse enfoque em geral é um terapeuta também preparado para recomendar ervas, orientar dietas e usar outras modalidades de tratamentos de acordo com o problema de cada um. Além dos pés, suas técnicas também fazem uso dos joelhos, cotovelos, palmas e dedos onde for necessário e apropriado. Esta variação é também conhecida como “Shiatsu dos Pés Descalços”, em referência ao fato de que o terapeuta está descalço, e que os princípios do Shiatsu (como pressão nos pontos e obediência ao fluxo energético) são utilizados na massagem.

Edward Spencer
Edward Spencer é pioneiro do Ashiatsu na América do Norte

O psicologo Edward Spencer é um dos nomes a propagar o Ashiatsu com fins terapeuticos pelos EUA. Ele atua como terapeuta corporal desde 1974, tendo estudado com Shizuko Yamamoto, Lauren Berry e vários outros. Por 29 anos ele foi integrando seus estudos de Shiatsu dos Pés Descalços, mecânica estrutural e trabalho energético para ensinar a arte conhecida como Ashiatsu. Ele afirma que em contraponto ao trabalho de Yamamoto, o Ashiatsu dá mais ênfase no indivíduo que em linhas de conduta alimentares, por exemplo, e que sua abordagem é influenciada grandemente tanto pela concepção tradicional chinesa de órgãos e meridianos, como pelos ensinamentos corpo-mente-energia da antiga escola de mistérios egípcia. Mesmo assim, Ashiatsu é considerado por alguns como uma adaptação do estilo desenvolvido por Sensei Shizuko Yamamoto.

Enquanto a conhecida terapeuta expandia a filosofia do seu trabalho ao redor do mundo, Ruthie Piper Hardee, uma menina do Sul dos EUA era criada recebendo todo o tipo de tratamentos tradicionais na África, Filipinas, Índia e em outros lugares do mundo (seus pais eram voluntários de ONGs a prestar serviço em lugares ermos). Anos depois, em fins dos anos 90 e já atuando como terapeuta, criou em um lampejo auspicioso as bases da técnica que se entitula Ashiatsu Oriental Therapy Bar (AOTB). A história é no mínimo curiosa. Tendo sido contratada para fazer massagem em um set de filmagem, ela se viu no fim do dia com os braços e mãos muito cansados, quando então lhe chega um membro da equipe do filme de 120 quilos lhe pedindo muito que o atenda, pois estava com muito desconforto e tensão nas costas. Ela não conseguiu lhe negar, mas logo percebeu que não tinha a força necessária para uma massagem profunda, capaz de mexer com a avantajada estrutura. Foi quando sua mente resgatou as imagens das antigas massagens com os pés recebidas por ela em seus tempos de criança, e ela passou a fazer manobras longas e fluídas, unindo suas memórias à suas habilidades e conhecimentos de terapeuta corporal. A técnica de Ruthie contém originalidade e oferece aos ocidentais um treinamento sistemático; contudo, o foco é o relaxamento muscular, não o tratamento do todo ou mesmo de outros aspectos. A terapeuta afirma que a AOTB é a “Massagem Profunda mais Luxuriante do Planeta”.

Seja para o estilo relaxante de Ruthie P. Hardee, seja pelas abordagens terapêuticas frutos da fusão de vários conhecimentos e saberes tradicionais e modernos, o Ashiatsu veio para ficar e oferecer seus múltiplos benefícios as pessoas e aos terapeutas.

Bom para os terapeutashttps://i2.wp.com/pl.b5z.net/i/u/6067571/i/Ashiatsu_denver_4.jpg

Aprender como fazer o Ashiatsu requer treinamento avançado, porque a execução mal feita pode trazer danos as costas dos clientes, mas uma questão diferenciada do Ashiatsu para o terapeuta é que ele é muito menos estressante para o corpo do que várias outras técnicas de massagem. Vários terapeutas de massagem desenvolvem dor e tensão trabalhando sobre seus clientes, ao usar os braços para trabalhos profundos. Assim como os praticantes de Shiatsu de chão de alguns estilos, Ashiatsu usa a gravidade como auxiliar, com o terapeuta usando todo o corpo como ferramenta. Isso pode reduzir lesões de trabalho aos profissionais. Ashiatsu é ainda uma ferramenta a mais de trabalho, e se for utilizado no momento preciso, trará grandes benefícios à terapia.

 

* * *

*  Arnaldo V. Carvalho é Terapeuta Corporal, Naturopata, e Praticante de Shiatsu há 17 anos.
Membro Conselheiro do Sindacta – Sindicato de Acupuntura e terapias afins do Rio de Janeiro, autor do livro Shiatsu Emocional, único brasileiro a ministrar conferência no Congreso Internacional de Shiatsu em Madri (considerado o maior evento do gênero). Já dinamizou atividades ligadas ao Shiatsu em diversos estados do Brasil e países como Estados Unidos, Panamá, Argentina, Japão, Espanha e Portugal. Dirige a Aeshi – Escola de Shiatsu, onde ensina o Shiatsu Emocional através de uma didática inovadora. Coordena o curso de Shiatsu do Centro Brasileiro de Acupuntura Clínica e Medicina Chinesa. Administrador dos sites http://www.shiatsuemocional.com.br, shiatsuemocional.wordpress.com, portalverde.com.br e portalverde.wordpress.com. É ainda  fundador e administrador do Fórum Shiatsu BR (yahoogrupos) e do Shiatsu Brasil (Facebook). Mais sobre Arnaldo V. Carvalho em http://www.arnaldovcarvalho.com


Sites para visitar:

http://www.wisegeek.com/what-is-ashiatsu-massage.htm

http://www.worldwidehealth.com/health-article-Ashiatsu.html

http://www.ashiatsu.us/

http://www.massagetherapy.com/articles/index.php/article_id/836/Ashiatsu-

http://www.deepfeet.com/founder.htm

http://www.affinitymassages.com/

 

Veja alguns vídeos do Ashiatsu aqui!

 

Nota: As imagens aqui reproduzidas foram colhidas da Internet. Os proprietários foram contatados e aguardamos autorização oficial para a publicação.

5 comentários a “Ashiatsu – O nome é parecido, mas não é Shiatsu”

      1. Nós ensinamos, dentro de nossa formação em Shiatsu – logo no primeiro curso! – uma outra técnica que utiliza os pés (baseada numa arte de cura antiga chamada Hakken Ho). Infelizmente não conhecemos quem pratique o Ashiatsu no Brasil.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s