Arquivo de etiquetas: shiatsu em belo horizonte

Por que existem cursos de Shiatsu de duração tão variada?

“Eu sei que precisamos de três anos de estudo … como eu já encontrei em muitos cursos que duram uma semana? como você aprende em uma semana? que são muito básicos …. Eu quero me tornar um professional de Shiatsu, como posso fazer? Onde há um bom curso em Belo Horizonte?”

Simon, Belo Horizonte e Itália

Você pergunta como existem formações que ocorrem em finais de semana e ao mesmo tempo outras que duram 3 anos.

Primeiro preciso lhe alertar: A formação do Shiatsu Emocional é bem longa.

Agora, esclareço: Não há tempo de formação que encerre, na pessoa, a possibilidade de desenvolver-se.

Na linguagem do Judô, é somente quando se alcança a faixa preta que o verdadeiro aprendizado começa. De maneira semelhante, as artes da cura não tem fim, quando se trata de aprendizado.

Me reporto com frequencia a um mestre Chinês com quem tive a honra de aprender algumas coisas, e que certamente me contou ter estudado com seu mestre por 43 anos. “como seu mestre soube que você estava pronto?”, indaguei. “Ele morreu”. Disse-me. Não satisfeito, perguntei-lhe se ele havia procurado outro mestre, e ele disse que sim, vários, mas acabou chegando a conclusão que já não havia alguém vivo que soubesse mais que ele, então já com certa idade.

Assim, o pensamento de que um curso de 30, 60, 600 ou 3000 horas é suficiente com certeza inflinge em equívocado.

O modelo escolástico-acadêmico não muda desde a idade média, e vem produzindo profissionais pobres de espírito, incompetentes e/ou irresponsáveis em todo o mundo.

As pessoas pagam, frequentam o curso, respondem a perguntas que atestam que o aluno tem MEMÓRIA ou algum poder de análise e ganham um certificado. Achas mesmo que isso é suficiente?

Em nossa escola estamos preocupados pelo desenvolvimento psicoafetivo do aluno durante o processo de aprendizado. Um aluno que chega como um ser humano com extrema dificuldade ao afeto é um aluno despreparado para oferecer o amparo, o lado que Namikoshi diz ser “o toque do coração de mãe” do Shiatsu.

Mas, antes de ir fundo em relação aos conteúdos, é preciso que a gente responda a uma pergunta importante por parte dos interessados:

- Até onde a pessoa quer ir nesse caminho? Ou ainda: Quem é o aluno de Shiatsu?

Os cursos de Shiatsu não tem objetivo de simplesmente formar profissionais.

Antes de mais nada, cursos de Shiatsu formam PRATICANTES. Praticantes amadores, que queiram fazer shiatsu em seus filhos, conjuges, pais, e entes queridos não precisam passar por todo um processo formativo complexo.

Podemos dizer,  que há três tipos de pessoa que se interessam por cursos de Shiatsu:

1) os interessados em aprender uma prática básica, sem contraindicações e repleta de benefícios, que estimule o contato afetivo e participe da via como item importante na qualidade de vida daquela pessoa.

2) profissionais de saúde que já dominam certas bases sejam biológicas, sejam paradigmáticas, que querem adquirir novas ferramentas de trabalho para sua atividade-mãe.

3) pessoas interessadas em tornarem-se profissionais de Shiatsu.

Baseado nesta constatação, então pergunto a você:

1) Por que alguém que só quer praticar o Shiatsu como uma prática de bem estar na família precisaria estudar teorias problemas complexos e se debruçar em práticas extensas por três anos seguidos?

2) Por que um médico, psicólogo, fisioterapeuta, enfermeiro, enfim, porque um profissional de saúde, que já domina o conhecimento biomédico, haveria de se submeter a estudar de novo (e em geral de modo mais rudimentar, como se faz em cursos de massagem e shiatsu) disciplinas como anatomia e fisiologia num curso de Shiatsu?

É por existirem níveis diferentes de interesse que há tipos diferentes de curso.

Nossa resposta para isso é o ensino modular. Cada nível prenche a satisfação de um público. Pessoas que só farão o curso como meio de autoconhecimento e prática de saúde preventiva e caseira ficarão satisfeitos com o curso básico (embora haja muitos casos de pessoas que embora estejam de fato satisfeitas com o básico decidem avançar); Profissionais de saúde, terapeutas que já dominam uma técnica principal e queiram apenas complementar com mais uma ferramenta de trabalho talvez fiquem satisfeitos em seguir até o nível intermediário; E finalmente, há aqueles que pretndem tornar-se profissionais de Shiatsu. Eles podem ingressar desde o início pensando nisso, ou descobrir fazendo os primeiros níveis que pretende se envolver de forma profunda com a técnica do Shiatsu e o estilo Shiatsu Emocional.

O ensino modular tem algumas limitações: O tempo para a repetição (e fixação) da prática não é grande: Desse modo, caso a pessoa não pratique, corre o risco de perder ou esquecer. Nossa escola compensa isso através de certas medidas práticas: temos um grupo de estudo online, fixo e gratuito a todos os alunos desde o nível básico, onde há estudos dirigidos mensais. Nos principais núcleos há grupos de estudo presenciais também; e finalmente, o aluno tem direito a reciclagem gratuita. Assim, ele pode repetir e assim fixar e recaptular os conceitos, fundamentos e técnicas do Shiatsu quantas vezes quiser.

Finalmente, temos o diferencial inédito até onde tenho notícia no Brasil (e mesmo no exterior não conheci escola que agisse desse modo): Entre os módulos, além dos grupos de estudo, há o tempo de experiência (não se pode terminar um e entrar direto no outro), entrevistas e outros sistemas comprovatórios de que o conhecimento anterior foi compreendido em ampla significância. E após o intermediário, o ensino muda de figura, saindo da condição de encontros com datas específicas a passando a se basear num ciclo de estudos personalizado e individual, elaborado no início da formação avançada e onde professor e aluno seguirão juntos de forma particular. É completamente diferente do sistema normal, onde todos aprendem as mesmas coisas e estudam o que já sabem e o que não sabem. Esse último ciclo dura no mínimo um ano, e não há avaliações quantitativas no processo, apenas qualitativas.

Assim, um curso que parece ser “de final de semana” pode ser bem mais completo do que você imagina.

Não é possível hoje se falar em seriedade baseado em tempo de curso. Escolas ruins as vezes tem formações longas. As formações longas lhe dão uma noção de serem sérias, mas muitas matérias e disciplinas, ao menos se bem ensinadas, não precisariam ter um número de horas aula tão grande. Assim, há momentos de “encheção de linguiça”, como se diz aqui o Brasil, momentos em que se esticam as aulas com momentos e informação irrelevante. Formações curtas obviamente requerem uma energia muito grande por parte do professor, que precisa não ser apenas um bom shiatsuterapeuta: ideal que saiba dar aula, que tenha técnica de ensino, um bom planejamento de aula. Frequentemente, ainda, cursos longos iniciam com turmas enormes, por vezes com 35 ou mais alunos, enquanto que os cursos modulares melhores possuem turmas com poucos alunos, e desse modo, movimentos, teorias, posturas e etc podem ser corrigidas e aprimoradas com acompanhamento muito próximo e por parte do professor. Com um ambiente assim, o aluno aprende quatro, cinco vezes mais rápido e melhor.

No Brasil, tanto o Zen Shiatsu, como o Ohashiatsu e o Shiatsu Emocional atuam principalmente sob a forma de escolas modulares. As escolas técnicas, que possuem maior carga horária e longa duração, em geral dão ênfase a um Shiatsu adaptado à visão acupunturista, com forte ênfase nos conhecimentos chineses da MTC, quase nunca se reportando a práticas japonesas ou outras (tal como o conhecimento de Hara, Kyo-Jitsu, fundamentos macrobióticos etc). Lembrando que o Brasil vêm criando estilos próprios entre eles o Shiatsu Integrativo e o Shiatsu Psicossomático (de outros autores cujo trabalho, na prática, desconheço).

Você me pede indicação de uma escola séria. Te digo que a grande maioria dos professores é sério. Uns conhecem mais do que outros. Mas tudo depende da pergunta: “até onde você quer ir”?

No seu caso, você diz quer pretende se tornar um profissional. Em Belo Horizonte não conheço um professor em particular que ofereça curso, mas o IMAM/INCISA tem cursos de alta reputação na área da MTC e oferece cursos de Shiatsu. É provável que o SENAC aí também ofereça Shiatsu, mas não posso falar muito, não conheço. Cursos técnicos como os citados acima estão sujeitos a certas regras do MEC, variando menos em conteúdo e método. Os cursos modulares possuem regras próprias conforme suas escolas. Não conheço pessoas ou escolas em Belo Horizonte que atualmente ofereçam o curso modular, infelizmente. De qualquer forma, uma boa dica talvez seja fazer shiatsu como cliente em lugares diferentes. Quando você achar um profissional que lhe pareça muito bom, pergunte de que escola veio. É uma oportunidade de conhecer pessoas do circuito, diferentes métodos e estilos, e ainda se receber dos benefícios comuns do Shiatsu – todos o tem.

Espero ter sido útil em sua caminhada!

Arnaldo